Uma atividade diferenciada que respeita os limites e as características individuais do praticante, derivada da Capoeira: a Capoterapia. Esta modalidade é oferecida pela Secretaria de Esporte de Itápolis, inclusive, no CRI – Centro de Referência do Idoso e os alunos da cidade participaram, com apoio da Prefeitura Municipal, da 2ª Jornada de Capoterapia do Estado de São Paulo, realizada na cidade de São Carlos, no dia 28 de abril.

A jornada reuniu mais de 700 pessoas de 25 cidades, com suas delegações de capoterapeutas, para praticar atividades físicas feitas com movimentos lúdicos e cantigas de rodas, respeitando os limites físicos de cada pessoa, já que a maioria é integrante da Terceira Idade.

“Os alunos que praticam Capoterapia na Secretaria de Esporte, no CRI e na Igreja de São Benedito, por mais um ano, puderam participar deste importante evento, onde trocamos experiências”, disse o treinador e capoterapeuta, Mestre Negão.

Apesar da Capoterapia existir há 21 anos, ainda é uma novidade no Brasil, onde o esporte começou a se expandir em 2010 e, a cada dia, vem ganhando mais adeptos para esse novo estilo de vida. Estima-se que, atualmente, o país tenha mais de 50 mil praticantes espalhados pelos estados: Maranhão, Piauí, Rondônia, Mato Grosso, Minas Gerais, Bahia e São Paulo.

Imprensa Prefeitura de Itápolis