Para discutir soluções relacionadas ao combate do mosquito Aedes aegypti e escorpião em Itápolis, representantes de vários setores da Administração Municipal, que compõem a Sala de Situação – criada para reunir informações que possam subsidiar a tomada de decisões de prevenção e combate, proposta pelo Sistema Único de Saúde (SUS) – estiveram reunidos no Auditório da Secretaria de Educação.

O principal papel da Sala de Situação é alinhar o trabalho das Secretarias Municipais para obter maior êxito no combate às doenças causadas pela picada do Aedes ou escorpião, bem como trazer melhorias para o município, tornando-o mais limpo e bonito, consequentemente, melhorando os índices de saúde pública.

Foram discutidas medidas para serem tomadas em casos relacionados às casas abandonadas (sujas e em estado de destruição); casas trancadas (embargadas, com proprietários que moram em outras cidades); casas sujas (com entulho, reciclagem desorganizada e em excesso ou com fezes de animais), além da questão da recusa para entrada dos agentes de saúde.

Como a reunião contava com os gestores das Secretarias de Saúde, Desenvolvimento Ambiental, Serviços Públicos e Administração, representantes do Departamento Jurídico, Vigilância Sanitária, Controle de Vetores, Defesa Civil e NASF (Núcleos de Apoio à Saúde da Família) foi proposto o estudo de novas regulamentações relacionadas a esses casos, objetivando manter a cidade livre dos transmissores de doenças.

Em relação à destinação dos lixos eletrônicos, pré e pós o Mutirão do Lixo Eletrônico - que também podem atrair animais e insetos, se estiverem armazenados de maneira incorreta - ficou acordado que esses materiais serão entregues na sede da Secretaria do Desenvolvimento Ambiental.

Imprensa Prefeitura de Itápolis