Você já pensou no porque falar sobre violência sexual contra crianças e adolescentes?
Por dois importantes motivos: porque este tipo de violência é uma prática que, infelizmente, continua a fazer vítimas e porque debater o assunto estimula a conscientização que rompe a barreira do medo de denunciar uma violência sofrida.
Esse assunto ganha holofote todos os anos no dia 18 de Maio - “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”. A data foi instituída pela Lei Federal 9.970/2000.

Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas 8 anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

A proposta anual da campanha, que nesse ano comemora o 20º ano de mobilização, é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes. É necessário garantir a toda criança e adolescente o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e o CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) realizarão, na segunda-feira (18/05), a distribuição de folder informativo com as devidas precauções, devido à situação da pandemia, na Praça Pedro Alves de Oliveira (em frete a Caixa Econômica Federal).

Se você as souber de algum caso de abuso sexual ou exploração sexual contra crianças e adolescentes, denuncie:
• Conselho Tutelar
• Disque 100

Imprensa Prefeitura de Itápolis