Com uma população de acima de 6.000 habitantes, o Distrito de Tapinas exerce um papel de extrema relevância, contribuindo de maneira significativa para o desenvolvimento e progresso do município de Itápolis. Tapinas se destaca hoje como um importante fornecedor de mão de obra especializada para as Usinas de açúcar e álcool da região, no ramo da produção de agrícola e em diversos outros segmentos.

Criado em 28 de fevereiro de 1964, o Distrito de Tapinas está localizado a 20 km de Itápolis, tendo como via de acesso - interligando a cidade ao distrito - a Rodovia Antônio Coletti / IPS-010, pavimentada em todo seu percurso. O distrito conta com estradas que possibilitam uma ligação direta com o Bairro Rural Monjolinho (Itápolis) e o Distrito de Vila Botelho (Santa Adélia).

Tapinas conta com uma Unidade Básica de Saúde e um PSF (Posto de Saúde da Família), Posto de Combustível, 2 EMEIs (Escola Municipal de Ensino Infantil) e 1 Escola Estadual, Velório, Igrejas, Supermercados, Estabelecimentos Comerciais de vários segmentos, Cooperativa de Costura, Linha de ônibus e Associação de Moradores.

Em 1895, Silvestre Bernardo da Silva iniciava a limpeza da área onde hoje se localiza o Distrito de Tapinas, primeiramente nomeado de “Cachoeira do Ribeirão dos Porcos,”. Uma capela, feita se tábuas, é construída no Distrito sob a proteção do Senhor Bom Jesus, onde foi rezada a 1ª missa, celebrada pelo padre de Ribeirãozinho (nome dado a atual cidade de Taquaritinga). Mais tarde, esta sede da igreja é substituída por uma construção de tijolos, coberta por telhas. Com o aumento dos habitantes e fiéis, houve a necessidade de se construir uma igreja mais adequada, que em 17 de agosto de 1938, foi solenemente inaugurada. Atualmente, ela não existe mais, sendo substituída por um imponente prédio que, agora, abriga a Paróquia do Senhor Bom Jesus, instituída no Distrito de Tapinas no dia 13 de fevereiro de 2015, tendo como pároco o Padre João Paulo Raimundo da Cruz.

José Godoy de Bueno foi o primeiro escrivão do Cartório de Paz do Distrito de Tapinas, nomeado interinamente em 7 de abril de 1928 e efetivado em 5 de outubro do mesmo ano. O professor João Caetano da Rocha veio Tapinas, no ano de 1916, a convite do fazendeiro Relíquias Ribeiro da Silva, que lhe deu hospedagem e construiu um prédio para abrigar a escola em sua fazenda, já que na época não havia nenhum professor na região. Em 1918 João Caetano mudou-se para a Vila (Tapinas), onde também exercia a função de auxiliar de farmácia, sempre lutando para a elevação da Vila à Distrito.

Em 1945, foi instalado, em prédio provisório, o Grupo Escolar Dr. Antônio de Azevedo Silva, que teve como primeiro diretor o Prof. René Mallet Cyrino. Em 28 de abril de 1946 foi inaugurado o prédio definitivo da escola. Já a partir de março 1982, a instituição de ensino passou a chamar-se Escola Estadual Professor João Caetano da Rocha, em homenagem a pessoa que, pelo seu grande empenho e dedicação ajudou na formação do Distrito de Tapinas. Atualmente a Escola Estadual João Caetano da Rocha funciona em três períodos, oferecendo cursos do Ensino Fundamental e Médio.

Os europeus italianos, que chegaram à região, e foram vencendo as dificuldades, ultrapassando barreiras e conquistando seus espaços, produzindo riquezas através do cultivo do café, sendo os precursores de Tapinas. Nos tempos atuais o Distrito continua sendo honrado com o emprenho de produtores agrícolas, trabalhadores rurais, comerciantes e demais habitantes - cada qual no seu ramo - continuam a saga dos pioneiros.

Entre as primeiras famílias que chegaram a Tapinas estão: Coletti, Semensato, Pontieri, Bortolassi, Chiquetti, Severino, Sgarbi, Venturini, Camargo, Aravechia, Castelli, Vinholi, Marconi, Renesto, Vicentim, Vicentainer, Nery, Rossato, Roque, Monguini, Loli, além de tantas outras, que traduzem o valor do trabalho, do amor a terra e suas consequentes vitórias.